Mobilidade urbana aplicada ao nível de conforto nos vagões da linha coral da CPTM

Ed Carlos Mariz, Jônatas Gomes Oliveira, Regis Cortez Bueno

Resumo


 

RESUMO

A cidade de São Paulo, metrópole mais desenvolvida do Brasil, tem se tornado um polo atrativo mundial. Conta atualmente com uma população de aproximadamente 21 milhões de habitantes, na região metropolitana. Nos últimos anos tem verificado um aumento substancial em número de habitantes, fato que, traz uma correlação direta aos baixos índices de mobilidade urbana. Os transportes de passageiros passam a não ser ofertados com qualidade, muitas vezes operam com baixos níveis de conforto, sobretudo nos horários de pico. O intuito da pesquisa tem por propósito mensurar a quantidade de passageiros por m2 nas operações de trens da CPTM, linha Coral, a fim de verificar se o serviço é ofertado com qualidade a seus usuários. A modelagem matemática utilizada foi o cálculo de dimensionamento de frota. Os dados da pesquisa indicaram que os níveis estão em média nove passageiros por metro quadrado, níveis aceitáveis, porém muito abaixo dos padrões de países desenvolvidos.

 


Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Ministério das Cidades. Implantação de sistemas de transporte acessível. Brasília. Brasil Acessível: Programa Brasileiro de Acessibilidade Urbana, 5, 2008.

________Ministério das Cidades. Manual de BRT - Bus Rapid Transit - Guia de Planejamento. Brasília: Ministério das Cidades. 2009.

CONFEDERAÇÃO NACIONAL DO TRANSPORTE – CNT. Disponível em:> http://cms.cnt.org.br/Imagens%20CNT/PDFs%20CNT/2016%20CNT%20Pesquisa%20Metroferrovi%C3%A1ria%20(web).pdf, 2016> Acesso em: 30 jan. 2019.

COMPANHIA PAULISTA DE TRENS METROPOLITANOS - CPTM. Disponível em:> https://www.cptm.sp.gov.br/a-companhia/Pages/Nossa-Historia.aspx> Acesso em: 30 jan. 2019a.

____________________________________________, CPTM. Disponível em:> https://www.cptm.sp.gov.br/sua-viagem/Documents/L11.pdf> Acesso em: 30 jan. 2019b.

DARONCHO, C; RODRIGUES, G; GALVES, M.L. Estruturação do problema de escolha do modal de transporte público na avenida Radial Leste, em São Paulo. Revista dos Transportes Públicos-ANTP. Ano 38: 1°. p. 95-114.2016.

DUARTE, F.; LIBARDI, R. Introdução à mobilidade urbana. Curitiba: Jurua Editora, 2012.

FURTADO, Alzira Carvalho. Direito ao Transporte na Constituição Federal brasileira de 1988: A bicicleta como meio de transporte alternativo para a mobilidade urbana. Fibra Lex 1.4, 2018.

GREGORI, Lúcio. A luta pela universalidade das políticas públicas de transporte. Revista de Políticas Públicas 20: 117-126, 2017.

GODOY, Arlida Schmidt. Introdução à pesquisa qualitativa e suas possibilidades. Revista de administração de empresas 35.2: 57-63, 1995.

LOUBACK, Nelsino Junio de Freitas et al. Planejamento estratégico: O desafio da mobilidade urbana de Manhuaçu (MG). Revista Pensar Acadêmico16.1: 64-87, 2018.

LYONS, Glenn. Getting smart about urban mobility–aligning the paradigms of smart and sustainable. Transportation Research Part A: Policy and Practice 115: 4-14, 2018.

MAIELLARO, João Roberto, et al. USO DA SIMULAÇÃO COMO APOIO À DECISÃO NO SETOR DE CHEK-IN NO AEROPORTO DE GUARULHOS. South American Development Society Journal 2.4: 102-117. 2017.

NUGEM, Rita De Cassia, et al. Transporte Coletivo e Saúde: Uma questão de gestão. Revista da Universidade Vale do Rio Verde, v. 10, n. 1, p. 186-198, 2012.

OLIVEIRA, Luis CR, et al. Analysing passengers behaviours when boarding trains to improve rail infrastructure and technology. Robotics and Computer-Integrated Manufacturing57: 282-291, 2019.

REIS, João Gilberto Mendes, et al. Bus Rapid Transit (BRT) como solução para o transporte público de passageiros na cidade de São Paulo. INOVAE-Journal of Engineering, Architecture and Technology Innovation. p.83-98. 2014.

TORRES, I. G. E. Transporte público urbano. São Paulo: Rima, p, 09-16, 2004.

VALENTE, A.M, et al. Qualidade e produtividade nos transportes. São Paulo: Cengage Learning, 2008.

VASCONCELLOS, Eduardo Alcântara. Mobilidade urbana: O que você precisa saber. São Paulo: Companhia das Letras, 2013.

XIA, Feng, et al. Exploring human mobility patterns in urban scenarios: A trajectory data perspective. IEEE Communications Magazine 56.3: 142-149, 2018.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Refas - Revista Fatec Zona Sul

Licença Creative Commons CC BY-NC-ND.