Gestão de pessoas na Covid-19 no ensino fundamental e médio do setor público

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26853/Refas_ISSN-2359-182X_v10n03_02

Palavras-chave:

Gestão de Pessoas, Políticas públicas, Covid-19, Profissionais da educação

Resumo

O principal objetivo deste artigo é demonstrar de forma sucinta o trabalho dos profissionais da educação de uma escola pública de Araraquara, no interior de São Paulo, durante a pandemia de Covid- 19, como vem sendo o retorno presencial, os métodos adotados pelo governo para a realização das aulas remotas e os procedimentos a respeito das atividades no que se refere a rotina da gestão de pessoas. A pesquisa se deu em quatro fases: levantamento dos dados; entrevistas realizadas com os profissionais da educação; transcrição e análise das respostas. A pesquisa de campo foi realizada, por conveniência, com profissionais da educação da Escola Estadual Professora Léa de Freitas Monteiro, fundada em 13/06/1988, cujo objetivo é assegurar a todos(as) os(as) alunos um tempo maior de convívio escolar, maiores oportunidades de aprender e, com isso, uma aprendizagem com mais qualidade.  O público-alvo é formado por alunos(as) em idade escolar do ensino fundamental e médio, conforme o certame da Lei 9.394, de 20 de dezembro de 1993. É importante salientar que os depoimentos concedidos na entrevista representam o pensamento dos profissionais de forma livre, no que se refere ao ofício desempenhado e suas mutações no período da pandemia causado pelo SARS-CoV-2, responsável por causar a doença COVID-19. Neste estudo foi possível identificar como a pandemia afetou as atividades dos profissionais da educação relacionando o antes, o durante e na fase de retorno ao presencial. Os gestores reforçaram a prática do diálogo, da conversa para reaproximar as pessoas e mitigar os efeitos do isolamento/distanciamento social.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Roseane Barcellos Marques, Fatec Registro

Pós-doutora em Turismo pela Escola de Comunicação e Artes da Universidade São Paulo, doutora em Administração Pública e Governo pela Fundação Getúlio Vargas e Mestre em Economia Política pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo.

Marinalva Santana Santos, Fatec Araraquara

Formada em Gestão Comercial pela Fatec Araraquara, com habilidades e conhecimentos para prosperar nas atividades acadêmicas e no ambiente corporativo. Atualmente, agente de organização escolar na E.E. Professora Léa de Freitas Monteiro.

Referências

AGUM, R.; RISCADO, P.; MENEZES, M.. Políticas Públicas: conceitos e análise em revisão. Revista Agenda Política, São Carlos, v.3, no. 2, 2015.

BARDIN, L. Análise de Conteúdo. Lisboa: Edições 70, 2002.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Guia de vigilância epidemiológica: emergência de saúde pública de importância nacional pela doença pelo coronavírus 2019. Brasília, 2021.

BRASIL. Câmara dos Deputados. Lei complementar nº 173, de 27 de maio de 2020. Disponível em: < https://www2.camara.leg.br/legin/fed/leicom/2020/leicomplementar-173-27-maio-2020-790237-norma-pl.html>. Acesso em 16 dez. 2021.

BRASIL. Ministério da Saúde. Sistema Universidade Aberta do SUS (UNA-SUS). Organização Mundial de Saúde declara pandemia do novo Coronavírus. Disponível em: < Organização Mundial de Saúde declara pandemia do novo Coronavírus - Notícia - UNA-SUS (unasus.gov.br)>. Acesso em 25 nov. 2021.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação (CNE). Parecer nº 9, de 8 de junho de 2020. Brasília, 2020.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Estadual de Educação (CEE). Deliberação no. 177, de 18 de março de 2020. São Paulo, 2020.

BRASIL. Ministério da Educação. Leis de Diretrizes e Bases (LDB). Lei no. 9.396, de 20 de dezembro de 1996.

BRESSER-PEREIRA, L.C. Da administração pública burocrática à gerencial. Revista do Serviço Público, v. 47, n. 1, jan./abr.1996.

BRESSER-PEREIRA, L.C. Depois do capitalismo, o gerencialismo democrático. RAE – Revista de Administração de Empresas, v. 61, n. 3, p.1-11, 2021.

CHIAVENATO, I.. Gestão de pessoas: o novo papel dos recursos humanos nas organizações. Barueri: Manole, 2014.

COELHO, F.S.; MENON, I.O. A quantas anda a gestão de recursos humanos no setor público brasileiro? Um ensaio a partir das (dis)funções do processo de recrutamento e seleção – os concursos públicos. Rev. Serv. Público Brasília 69, edição especial Repensando o Estado Brasileiro 151-180 dez 2018.

CRESWELL, J. W. Research design: Qualitative, quantitative, and mixed methods approaches. United State: Sage publications, 2013.

DYE, Thomas D. Understanding Public Policy. Englewood Cliffs, N.J.: PrenticeHall. 1984.

FONSECA, D.; MENESES, P.; SOUSA, I.; HOLLANDA, P.. Escolas de governo de capacitação no setor público: perspectiva metodológica para governança. Revista de Serviço Público. Brasília, vol. 70 (especial), p. 34-70, 2019.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4ª. ed. São Paulo: Atlas, 2002.

GOLDSMITH, S.; EGGERS, W. D. Governar em rede: o novo formato do setor público. Brasília: Enap, 2006.

GONÇALVES, L.; SILVA, K.; FERREIRA, R.; SOUZA, J.; PAIVA, L.C.. As políticas públicas de avaliação em larga escala no Brasil diante da pandemia de Covid-19. Revista Com Censo #22, v. 7, no. 3, agosto 2020.

LONGO, F. Mérito e flexibilidade: a gestão de pessoas no setor público. São Paulo:

Edições Fundap, 2007.

PACHECO, R. S. Política de recursos humanos para a reforma gerencial: realizações

do período 1995-2002. Revista do Serviço Público, v. 53, n. 4, p. 78-105, out./dez.,

PAULA, A.P.P. Administração pública brasileira: entre o gerencialismo e a gestão social. RAE – Revista de Administração de Empresas, v. 45, n. 1, 2005.

PETERS, B. G. American Public Policy. Chatham, N.J.: Chatham House. 1986

POLKINGHORNE, D. (1988). Narrative knowing and the human sciences. State University of New York Press.

RODRIGUES, A.; BARRICHELLO, A.; IRIGARAY, H; SOARES, D.; MORIN, E.. O trabalho e seus sentidos: um estudo com peritos criminais da polícia federal. Rev. Adm. Pública, Rio de Janeiro, v. 51, n. 6, p. 1058-1084, 2017.

SECCHI, L.. Modelos organizacionais e reformas da administração pública. Rev. Adm. Pública, Rio de Janeiro, v. 43, n. 2, p. 347-369, 2009.

SILVA, E.; MENEZES E.. Metodologia da pesquisa e elaboração de dissertação. 3. ed. Florianópolis: Laboratório de Ensino a Distância da UFSC, 2001.

SOUZA, Celina. A Introdução Políticas Públicas: uma revisão da literatura. Sociologias, Porto Alegre, ano 8, nº 16, jul/dez 2006, p. 20-45. Disponível em: < https://www.scielo.br/j/soc/a/6YsWyBWZSdFgfSqDVQhc4jm/?format=pdf&lang=pt>. Acesso em 25 nov. 2021.

SILVA JUNIOR, Celestino Alves da.; RANGEL JUNIOR, Mary (Orgs.). Nove olhares sobre a supervisão. Campinas, SP: Papirus, 1997.

WORLD HEALTH ORGANIZATION – WHO. WHO characterizes COVID-19 as a pandemic. Disponível em: . Acesso em 26 nov. 2021.

Downloads

Publicado

29/02/2024

Como Citar

Marques, R. B., & Santos, M. S. (2024). Gestão de pessoas na Covid-19 no ensino fundamental e médio do setor público. Refas - Revista Fatec Zona Sul, 10(3), 20–34. https://doi.org/10.26853/Refas_ISSN-2359-182X_v10n03_02

Edição

Seção

Gestão Empresarial

Métricas