Pensamento estratégico e seleção de indicadores relevantes de desempenho: evidências de isomorfismo entre empresas de tecnologia da informação e comunicação

Antônio André Cunha Callado, Augusto Carlos Diniz Costa Filho

Resumo


Este artigo teve o objetivo de analisar relações entre o pensamento estratégico e aspectos operacionais associados à seleção de indicadores relevantes de desempenho no âmbito de empresas de Tecnologia de Informação e Comunicação localizadas em Recife/PE. Informações referentes ao perfil dos gestores, ao perfil das empresas, ao pensamento estratégico das empresas e a procedimentos operacionais associados à seleção de indicadores relevantes de desempenho foram coletadas através de um questionário eletrônico. Todas as variáveis foram operacionalizadas em escalas ordinais. Todas as variáveis foram representadas considerando escalas Likert. O desenho operacional da pesquisa considerou uma população finita 289 empresas e todas elas foram contactadas. Foram obtidos 22 questionários respondidos de maneira completa, representando uma taxa de resposta de 7,61%. Estatística descritiva e o coeficiente de correlação de Spearman foram utilizados para a apresentação dos resultados, que identificaram a presença de isomorfismo mimético entre as empresas investigadas.


Texto completo:

PDF

Referências


ANDRADE, M. M. de. Introdução à metodologia do trabalho científico, São Paulo: Atlas, 1999.

ANSOFF, H.I. Estratégia empresarial. São Paulo: McGraw-Hil, 1977.

BEPPLER, M. K.; PEREIRA, M. F.; COSTA, A. M. Discussão conceitual sobre o processo de estratégia nas organizações: formulação e formação estratégica. Revista Ibero-Americana de Estratégia - RIAE, São Paulo, v. 10, n. 1, p. 128-146, jan. /abr. 2011.

BHAGWAT, R.; SHARMA, M. K. Performance measurement of supply chain management: A balanced scorecard approach. Computers & Industrial Engineering, v. 53, n. 1, p. 43-62, 2007.

BISQUERRA, R.; SARRIERA, J. C.; MARTINÉZ, F. Introdução à estatística: Enfoque informático com o pacote estatístico SPSS. Tradução Fátima Murad. Porto Alegre: Artmed, 2004.

BRANDT, V. A. A. Contabilidade gerencial e sua relação com a teoria institucional e a teoria da contingência. Ciências Sociais em Perspectiva, Cascavel, v. 9, n. 17, p. 135-147, 2º sem. 2010.

CARVALHO, C. A. P.; VIEIRA, M. M. F.; LOPES, F. D. Contribuições da Perspectiva Institucional para Análise das organizações. In: ENCONTRO ANUAL DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO, 26., 1999, Rio de Janeiro, Anais... Rio de Janeiro: ANPAD, 1999.

CARVALHO, H. S. Neoinstitucionalismo e suas implicações na adoção de práticas socioambientais nas organizações: estudo de caso no segmento de comércio exterior. Dissertação (Mestrado em Administração) – Fundação Instituto Capixaba de Pesquisa em Contabilidade, Economia e Finanças. FUCAPE, Vitória, 2010.

CHANDLER, A.D. Jr. Strategy and structure: chapters in the history of the industrial enterprise. Cambridge: MIT Press, 1990.

DIEHL, C. A. et al. As estratégias percebidas sob o enfoque teórico do posicionamento, da visão baseada em recursos, da missão e da tipologia: Um Estudo Com Empresas Gaúchas. In: CONGRESSO USP DE CONTROLADORIA E CONTABILIDADE, 9., 2009, São Paulo. Anais... São Paulo: CONGRESSO USP DE CONTROLADORIA E CONTABILIDADE, 2009.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 5. ed. São Paulo: Atlas, 1999.

HALL, R. H. Organizações: Estruturas e Processos. 3. ed. São Paulo: Prentice-Hall. 1984.

HARLAND, C. Supply chain operational performance roles. Integrated Manufacturing Systems, v. 8, n. 2, p.70-78, 1997.

JOHANSON, U. et al. Balancing dilemmas of the balanced scorecard. Accounting, Auditing & Accountability Journal, v. 19, n. 6, p. 842- 857, 2006.

KAPLAN, R.S.; NORTON, D.P. The Balanced Scorecard: measures that drive performance. Harvard Business Review, p. 71-79, Jan./Feb. 1992.

KAPLAN, R.S.; NORTON, D.P. A estratégia em ação: Balanced Scorecard. 9. ed. Rio de Janeiro: Campus, 1997.

KAPLAN, R.S.; NORTON, D.P. Transforming the Balanced Scorecard from performance measurement to strategic management: Part I. Accounting horizons, v. 15, n. 1, p. 87-104, mar. 2001.

KAPLAN, R.S.; NORTON, D.P. Mapas estratégicos – balanced scorecard: convertendo ativos intangíveis em resultados tangíveis. Rio de Janeiro: Elsevier, 2004.

KIYAN, F. M. Proposta para desenvolvimento de indicadores de desempenho como suporte estratégico. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Produção). Escola de Engenharia de São Carlos, Universidade de São Paulo, São Carlos-SP, 2001.

LOHMAN, C.; FORTUIN, L.; WOUTERS, M. Designing a performance measurement system: a case study. European Journal of Operational Research, v. 156, p. 267–286, 2004.

MACHADO-DA-SILVA, C. L.; VIZEU, F. Análise institucional de práticas formais de estratégia. RAE - Revista de Administração de Empresas, São Paulo, v. 47, n. 4, p.89-100, out/dez. 2007.

MELNYK, S. A.; STEWART, D. M.; SWINK, M. Metrics and performance measurement in operations management: dealing with the metrics maze. Journal of operations management, v. 22, p. 209-217, 2004.

MEYER Jr., V.; PASCUSSI, L; MANGOLIN, L. Gestão estratégica: um exame de práticas em universidades privadas. RAP - Revista de Administração Pública, Rio de Janeiro, v. 46, n. 1, p.49-70, jan. /fev. 2012.

MINTZBERG, H.; AHLSTRAND, B.; LAMPEL, J. Safári de estratégia: um roteiro pela selva do planejamento. Porto Alegre: Bookman, 2000.

MINTZBERG, H.; QUINN, B. J. The Strategy Process – Englewood Ciffs. New Jersey: Prentice, 1991.

NEELY, A.; GREGORY, M.; PLATTS, K. Performance Measurement System Design: A literature review and research agenda. International Journal of Operations & Production Management, v. 15, n. 4, p. 80-116, 1995.

OYADOMARI, J. C. et al. Fatores que influenciam a adoção de artefatos de controle Gerencial nas empresas brasileiras: um estudo exploratório sob a ótica da Teoria Institucional. RCO - Revista de Contabilidade e Organizações, São Paulo, v. 2, n. 2, p. 55-70, jan. /abr. 2008.

PAPADAKIS, V. M.; LIOUKAS, S.; CHAMBERS, D. Strategic decision-making processes: the role of management and context. Strategic Management Journal, v. 19, p. 115-147, 1998.

PARK, J. H.; LEE, J. K.; YOO, J. S. A framework for designing the balanced supply chain scorecard. European Journal of Information Systems, v. 14, n. 4, p. 335-346, 2005.

PRIETO, V. C. et al. Fatores críticos na implementação do Balanced Scorecard. Gestão & Produção, São Carlos-SP, v. 13, n. 1, p. 81-92, jan. /abr. 2006.

QUIŃONES, M. A.; FORD, J. K.; TEACHOUT, M. S. The relationship between work experience and job performance: A conceptual and meta‐analytic review. Personnel psychology, v. 48, n. 4, p. 887-910, 1995.

ROSSETTO, C. R.; ROSSETTO, A. M.. Teoria institucional e dependência de recursos na adaptação organizacional: uma visão complementar. RAE-eletrônica, São Paulo, v. 4, n. 1, art. 7, jan. /jul. 2005.

SEI - Software Engineering Institute. A-Specification for the CMMI Product Suit, Version1.6, 2004. Disponível em: < https://resources.sei.cmu.edu/library/asset-view.cfm?assetid=29474 >. Acesso em 22 julho 2019.

SOUZA, M. A.; SILVA, E. J.; PILZ, N. Práticas de gestão estratégica de custos: um estudo em uma multinacional brasileira. RCO - Revista de Contabilidade e Organizações, Ribeirão Preto - SP, v. 4, n. 9, p.145-167, mai/ago., 2010.

STEVENSON, W. J. Estatística aplicada à Administração. São Paulo: Harbra, 1986.

TANGEN, S. Performance measurement: from philosophy to practice. International journal of productivity and performance management, v. 53, n. 8, pp. 726-737, 2004.

TEERATANSIRIKOOL, L. et al. Competitive strategies and firm performance: the mediating role of performance measurement. International Journal of Productivity and Performance Management, v. 62, n. 2, p. 168–184, 2013.

VASCONCELOS, F. C.; VASCONCELOS, I. F. F. G. de. Isomorfismo estrutural e os limites da normalização: Dois estudos de caso sobre a implantação das normas ISO 9000 em empresas de informática na França. In: ENCONTRO DE ESTUDOS ORGANIZACIONAIS, 31, 2000, Curitiba. Anais... Curitiba: ANPAD, 2000.

VENARD, B. Organizational isomorphism and corruption: an empirical research in Russia. Journal of Business Ethics, v. 89, n. 1, p. 59-76, Sep. 2009.

WEBER, M.; KLEIN, A. Z. Gestão estratégica em empresas de tecnologia da informação: um estudo de caso, Revista Ibero-Americana de Estratégia - RIAE, São Paulo, v.12, n.3, p.37-65, jul. /set. 2013.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Refas - Revista Fatec Zona Sul

Licença Creative Commons CC BY-NC-ND.