Nível de conhecimento de estudantes de ciências contábeis sobre a demonstração dos fluxos de caixa

Nadielli Maria dos Santos Galvão, Gabriel Santos de Jesus

Resumo


O objetivo do estudo foi verificar o nível de conhecimento dos estudantes de Ciências Contábeis sobre a Demonstração dos Fluxos de Caixa. Para tal, realizou-se uma pesquisa do tipo survey com estudantes de ciências contábeis da Universidade Federal de Sergipe, no campus de Itabaiana. Verificou-se que a média dos alunos foi 8,703, ou seja, a maioria deles acertou mais de 50% das questões. Percebeu-se ainda que a maior dificuldade dos discentes está nos pontos relacionados às atividades de investimento e financiamento, enquanto que estes estão mais familiarizados com as atividades operacionais. Destaca-se que nenhuma das variáveis do perfil obteve uma correlação estatisticamente significativa com a nota do respondente. Apenas ficaram próximo disso o gênero e o período. A média de acerto das mulheres foi de 9,129, enquanto dos homens 8,303. No que tange ao período, os alunos do 6º semestre obtiveram maior desempenho (média de 9,296) que os alunos do décimo (8,466). Em outras palavras, o fato do aluno avançar no curso não significa que seu conhecimento sobre a DFC (Demonstração dos Fluxos de Caixa) é ampliado. O estudo trouxe um feedback para a instituição participante da pesquisa e seus docentes, bem como traçou um caminho para que outras universidades analisem também a situação de seus estudantes quanto ao conhecimento adquirido acerca do demonstrativo objeto de estudo.


Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Lei n. 6404 de 15 de dezembro de 1976. Dispõe sobre as Sociedades por Ações. Disponível em: Acesso em 04 de janeiro de 2020.

CIÊNCIA. DICIO, Dicionário Online de Português. Porto: 7Graus, 2019. Disponível em: https://www.dicio.com.br/indole/. Acesso em: 04 de janeiro de 2020.

CIÊNCIA. Dicionário Michaelis. Editora Melhoramentos, 2015.

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS. NBC TG (R3) – Demonstração dos Fluxos de Caixa. Disponível em: Acesso em 04 de janeiro de 2020.

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS. NBC TG Estrutura Conceitual – Estrutura Conceitual Para Relatório Financeiro. Disponível em: < http://www1.cfc.org.br/sisweb/SRE/docs/NBCTGEC.pdf> Acesso em 04 de janeiro de 2020.

FEIL, A. A., HABERKAMP, A. M., AZEREDO, A. J., ORSO, T. M., KRONBAUER, C. A., HAETINGER, C. Análise Do Nível De Conhecimento Do Profissional Contábil Acerca Da Contabilidade Ambiental E Suas Variáveis Intervenientes. Revista Ambiente Contábil, 9(1), 223-245, 2017.

FERRARI; E.L. Contabilidade Geral: Teoria e mais de 1.000 questões. 15 ed. Niterói: Impetus, 2018.

FRANCO, H. Contabilidade geral. 23 ed. São Paulo, Atlas, 2006.

GALVÃO, N. M. DOS S., SILVA DE LIMA, A. C., DOS SANTOS, W. B. Estrutura e finalidade das demonstrações contábeis: um estudo do nível de conhecimento de estudantes de ciências contábeis. Revista Ambiente Contábil, 11(1), p. 237-258, 2018.

GALVÃO; N.M.S.; LIMA; A.C.S.;SANTOS; L.L.P. Estrutura Das Demonstrações Contábeis: Um Estudo Do Nível De Conhecimento De Estudantes De Administração. Revista de Contabilidade e Gestão Contemporânea, v.1, n.2, p. 75-89, 2018

GOMES, S. M., CRUZ, T., SOUZA, L.,GOMES, I. Nível De Conhecimento Dos Futuros Profissionais De Contabilidade Do Estado Da Bahia: Uma Análise À Luz Dos Conceitos Básicos Presentes Nas Normas Brasileiras De Contabilidade. REUNIR Revista De Administração Contabilidade E Sustentabilidade, 5(2), 104-121, 2015.

JESUS; G.S.; GALVÃO; N.M.S.; REZENDE; V.R. Nível de conhecimento dos estudantes de ciências contábeis sobre a Demonstração do Valor Adicionado. Revista Abracicon Saber, v. 29, p.30-39, 2019.

MACHADO; L.S.; KUHN; J.; MACHADO; M.R.R. Conhecimento Dos Docentes De Contabilidade Sobre As Normas Internacionais. Contabilidade e Controladoria, v. 6, n.1, p.28-42, 2014.

MALAQUIAS; R.F.; VERGARA; N.R. & SILVA; E.C. Convergência Contábil E Conhecimento Sobre Normas Internacionais De Contabilidade: Uma Análise Do Entendimento Dos Futuros Profissionais De Dois Países. Revista Ambiente Contábil v. 9. n. 1, p. 185 – 203, 2017.

MARQUES; T.O.; SCHULTZ; C.A.; HOFER; E. Contabilidade ambiental: uma análise do conhecimento dos alunos de dois cursos de ciências contábeis. Revista Ciências Sociais em Perspectiva, v.11, n.20, p. 1-23, 2012.

MARTENDAL; A.; UHLMANN; V.O.; VIEIRA; E.M.F.; PFITSCHER; E.D. Contabilidade Ambiental: nível de conhecimento dos profissionais contábeis da grande Florianópolis. Enfoque: Reflexão Contábil, v.32, n.1, p. 29-47, 2013.

MARTINS, E.; GELBCKE, E. R.; SANTOS, A.; IUDÍCIBUS, S. Manual de Contabilidade Societária – aplicável a todas as sociedades de acordo com as normas internacionais e do CPC. 2. ed. São Paulo: Editora Atlas, 2013.

MORÁS; V.R. Entendimento Dos Contadores Públicos Do Estado De Santa Catarina Em Relação Às Normas Brasileiras De Contabilidade Aplicadas Ao Setor Público. Anais do Convibra, 2019. Disponível em: Acesso em 7 de janeiro de 2020.

NUNES; I.V.; MARQUES; A.V.C.; COSTA; P.S. Nível De Conhecimento Dos Discentes Em Ciências Contábeis Sobre O Pronunciamento Conceitual Básico. Revista Universo Contábil, v.12, n.1, p. 87-104, 2016.

RIBEIRO, O. M. Contabilidade geral fácil. 6. ed. São Paulo: Saraiva, 2010.

ZIMERMAN, D.E. Etimologia de termos psicanalíticos. Porto Alegre: Artmed, 2012.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Refas - Revista Fatec Zona Sul

Licença Creative Commons CC BY-NC-ND.