Estudo de aplicabilidade do sistema kanban em uma empresa de análises clínicas

Cauê Gracioli Palacio, Romilton Santos Guerra Junior, Clayton de Oliveira Pires

Resumo


O presente estudo buscou em referências bibliográficas analisar o sistema kanban de uma empresa de análises clínicas e compará-la com o sistema implementado e verificar se a empresa utiliza da versão original, criado inicialmente em conjunto com o Just In Time. Para isso, a teoria serviu como base e acompanhou-se o processo para observar de que maneira funciona o kanban implantado na empresa objeto de estudo. Com isso, após entender o processo que utiliza os cartões de controle para administração de estoque e gestão de pedidos de compra, confirmou-se que o processo não se encaixa dentro das especificações, considerando que o modelo utilizado seria de uma versão adaptada ao modelo de produção empregado. Por meio de coleta de dados do processo, verificou-se a funcionalidade do kanban em sua versão adaptada dentro do sistema operacional, observando suas variações e características próprias que ao final, por mais que haja alterações em sua forma original, o kanban atua de maneira funcional, auxiliando no controle de estoque e de pedidos da empresa.


Texto completo:

PDF

Referências


PEREIRA, Ângelo Cardoso et al. Association between laboratory and clinical risk factors and progression of the predialytic chronic kidney disease. Brazilian Journal of Nephrology, v. 34, n. 1, p. 68-75, 2012.

Lahti S, Tuuti H, Hausen H, Kaariainen R. Comparison of ideal and actual behavior of patients and dentists during dental treatment. Community Dent Oral Epidemiol. 1995;23:374-378

MOTTA, P. C. D. Ambiguidades metodológicas do jus-in-time. In: Encontro Anual da ANPAD, 17. ANPAD, Salvador, 1993. 10 v. v.3, p. 46-57.

DURI, C.; FREIN, Yannick; DI MASCOLO, Maria. Comparison among three pull control policies: kanban, base stock, and generalized kanban. Annals of Operations Research, v. 93, n. 1-4, p. 41-69, 2000.

SLACK, et. al. Administração da Produção. São Paulo: Atlas, 1997.

FERNANDES, F. C. F; GODINHO FILHO, M. Sistemas de Coordenação de Ordens: Revisão, Classificação, Funcionamento e Aplicação. Revista Gestão & Produção, Artigo aprovado para publicação, 2006.

MARTINS, G; LAUGENI, F. P. Administração da Produção – 2. ed.rev. aum. E atual. São Paulo: Saraiva 2006.

ESPARRAGO JR, Romeo A. Kanban. Production and Inventory Management Journal, v. 29, n. 1, p. 6, 1988.

PERIARD, Gustavo. Produção puxada e empurrada – Conceito e aplicação. Disponível em: www.sobreadministracao.com/producao-puxada-e-empurrada-conceito-e-aplicacao/. Acesso em: 28 maio. 2019.

COSTA, Fabiano; DE SANTANA, Leandro Tenório; FERNANDES, Samuel. Gestão de estoque: estudo de caso sobre previsão de demanda em uma microempresa fabricante de materiais esportivo. REFAS: Revista FATEC Zona Sul, v. 3, n. 3, p. 5, 2017.

PEINADO, Jurandir. O papel do sistema de abastecimento Kanban na redução dos inventários. Revista da FAE, v. 2, n.2, 1999.

PINHEIRO, Antonio Cândido Machado. Gerenciamento de estoque farmacêutico. Revista eletrônica de contabilidade, v. 2, n. 1, p. 94, 2005.

BRAGA, Lilian Moreira; PIMENTA, Carolina Martins; VIEIRA, José Geraldo Vidal. Gestão de armazenagem em um supermercado de pequeno porte. Revista P&D em Engenharia de Produção, v. 8, p. 57-77, 2008.

BORGES, C. T.; CAMPOS, S. M.; BORGES, C. E. Implantação de um sistema para o controle de estoques em uma gráfica/editora de uma universidade. Revista Eletrônica Produção & Engenharia, v. 3, n. 1, p. 236-247, 2010.

DA SILVA, Kátia Beatriz Amaral; MADEIRA, Geová José. Gestão de estoques e lucro da empresa. In: Anais do Congresso Brasileiro de Custos-ABC. 2004.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Refas - Revista Fatec Zona Sul

Licença Creative Commons CC BY-NC-ND.